INICIO
RSS  facebook

HISTÓRIA

Após a Transição de Macau, e ultrapassados receios e ansiedades próprios de um novo ciclo, impôs-se a necessidade de criar uma estrutura que permitisse defender e promover os interesses dos portugueses radicados no Território e cumprir a missão de divulgar a cultura portuguesa num cenário em que esta continua a assumir protagonismo ao lado da cultura chinesa, contribuindo para a preservação da identidade de Macau que a torna um lugar único de culturas múltiplas.

Acreditando que a presença portuguesa e dos portugueses, actuantes na vida económica, social e cultural, era determinante para a manutenção da singularidade do Território e para a defesa do seu património intangível, foi criada, em 2001, a Casa de Portugal de Macau.

Congregar a comunidade, promover a divulgação da cultura portuguesa, a participação activa na vida social e nos eventos culturais de Macau tem sido missão que a CPM tem procurado cumprir. Exposições, concertos, ciclos de cinema, realização de documentários, edições, e debates têm sido realizados ano após ano, mostrando em Macau trabalho de qualidade, contribuindo para o enriquecimento cultural da cidade.

A formação quer técnica, quer criativa, quer a que visa o simples desenvolvimento pessoal tem sido implementada e diversificada, ano após ano.

Acções de solidariedade e de cooperação com as demais comunidades aqui residentes, actividades especialmente dedicadas aos jovens e ainda o desporto têm constituído outros tantos campos de actuação da CPM.

Ano após ano, a CPM cresceu e tornou-se uma referência na área da formação, com particular relevo para as actividades criativas, implementando ateliers e oficinas, criando condições para o surgimento de novos valores artísticos, respondendo com dinamismo às manifestações de interesse do governo no desenvolvimento das indústrias criativas.

BENEFÍCIOS

Os Sócios e Amigos da Cultura Portuguesa, bem como os seus familiares directos, beneficiam de desconto nas actividades promovidas pela Associação.

 

DOCUMENTOS

Sócios e Sócios Jovens: fotocópia do BI e BIR

Amigos da Cultura Portuguesa e Jovens Amigos da Cultura Portuguesa: qualquer documento de identificação + 2 fotos.

 

JÓIA

Os Sócios pagam 200 patacas de jóia (isenção para os Sócios Jovens, Amigos da Cultura Portuguesa e Jovens Amigos da Cultura Portuguesa)

 

QUOTAS MENSAIS

O pagamento de quotas pode ser feito na Sede, por transferência bancária ou sistema de autopay.

  • Sócios: 50 patacas
  • Sócios Jovens (0 aos 18 anos): 10 patacas
  • Amigos da Cultura Portuguesa: 50 patacas
  • Jovens Amigos da Cultura Portuguesa (0 aos 18 anos): 10 patacas

IMPRESSOS DE INSCRIÇÃO